Roraima

Barriga Negra Apresenta Melhor Conversão Alimentar

Raça vem se destacando no campo experimental da Embrapa

A Embrapa Roraima mantém, no campo experimental de Água Boa, um núcleo de conservação da raça de ovinos Barriga Negra, que vem se destacando por oferecer vantagens em relação a outras raças criadas no Estado.

Atualmente, os pesquisadores da empresa avaliam a resistência da Barriga Negra a doenças, as características de fertilidade dos reprodutores e matrizes, além do ganho de peso de borregos em
aleitamento e em pós desmama. Neste processo, constatou-se que os ovinos da raça apresentam uma boa tolerância a pastagens de baixa qualidade, boa resiliência a parasitoses e alta incidência de partos com gêmeos.

"Os animais do nosso núcleo de conservação são de porte pequeno. Mas a principal avaliação que precisamos realizar é da produtividade por hectare. Nem sempre os animais maiores apresentam melhor conversão alimentar", explica Paulo Sérgio Matos, pesquisador da Embrapa Roraima. Segundo ele, é aí que a Barriga Negra ganha destaque, pois oferece boa rentabilidade ao criador. "A raça tem uma alta taxa de partos gemelares, portanto alta produção numérica de borregos no
rebanho. Sua rusticidade também deve ser levada em conta. A questão mais importante não é ter um rebanho vistoso, e sim lucrativo", sentencia.

A raça Barriga Negra, conforme Paulo Sérgio, adapta-se bem às regiões semiáridas e de savana, como é o caso do lavrado roraimense. "Os animais são desprovidos de lã, o que os torna mais resistentes ao calor e menos ao frio", comenta. Segundo o pesquisador, em pastagens
de baixa qualidade nutricional, que ocorre principalmente na época de seca, os ovinos da raça conseguem manter boa condição corporal e de fertilidade. "As respostas mais promissoras que estamos obtendo com a Barriga Negra são com sua rusticidade", informa.

Para o pesquisador, porém, é importante diferenciar o trabalho de conservação da diversidade genética, como este realizado com a raça Barriga Negra, do trabalho de melhoramento genético. A diversidade, segundo ele, deve ser mantida para que os melhoristas tenham este recurso para utilização. O melhoramento animal, por sua vez, está focado na busca da expressão de características fenotípicas desejáveis para a produção de carne ou de leite, por exemplo. "Mas precisamos saber que, ao selecionar uma certa característica, podemos estar perdendo outras", alerta.

Risco de extinção

Além de Roraima, a Barriga Negra é encontrada no Nordeste brasileiro e na ilha de Barbados, no Caribe. A raça não é registrada na Associação Brasileira de Criadores de Ovinos. E está ameaçada de extinção por não existirem muitos criadores e por conta do alto grau de mestiçagem. Mas isso, conforme o pesquisador da Embrapa, não deve impedir que os criadores invistam na raça. "O maior incentivo ao criador é deixá-lo ciente das vantagens de se trabalhar com animais mais adaptados aos desafios climáticos e de produtividade de forragens, em que sua propriedade está inserida. Os animais naturalizados apresentam maior rusticidade, retratando um menor gasto com insumos".

Notícia adaptada pela Equipe Capril Virtual com informações Embrapa Roraima (08/09/2010)


Gostou? Quer receber no seu celular as novidades sobre Ovinos e Caprinos? É gratuito:

WhatsApphttps://bit.ly/zapcapril
Telegramhttps://t.me/PortalCaprilVirtual